Dedetização
Edição genética: novo avanço no controle de pragas com a biotecnologia
23 de fevereiro de 2020
0

Biólogos americanos e europeus se uniram para desenvolverem uma técnica conhecida como “edição genética”. Técnica essa que pode revolucionar o modo como é feito o controle de pragas na agricultura por meio da biotecnologia.

O principal objetivo dessa nova técnica é que os produtores rurais agora tenham um nível diferente de controle tanto sobre pragas quanto de doenças.

 

Mas o que é edição genética?

Edição genética, também conhecida como “edição dos genes”, é o processo de alteração de sequencias genéticas.

Ela ocorre por meio de deleção de fragmentos de DNA ou por meio da inserção de novas sequencias de DNA. Assim, propriedades e características são alteradas, por meio de seleção, nos organismos vivos.

Por meio das técnicas de edição os cientistas podem fazer a modificação dos genomas dos mais variados tipos de seres vivos. E os avanços com ela trazem benefícios para áreas como: tratamento de doenças, ciências ambientais e também para a agropecuária.

Mas no que diz respeito ao uso da técnica para benefício da agricultura, ela envolve a transferência de um gene especifico para uma população inteira de insetos.

Em testes feitos em laboratório, usando o organismo chamado de “drosófila”, os cientistas observaram que essa técnica conseguiu contribuir para que uma população de moscas carregasse um gene específico modificado.

Um dos pontos positivos dessa técnica é que, além de fazer o controle de pragas agrícolas, ela pode também contribuir para prevenir a transmissão de doenças como, por exemplo, as transmitidas por insetos como a doença de Lyme, a dengue e a malária também.

Foi isso o que um grupo de biólogos da universidade de Harvard, nos Estados Unidos, afirmou para a revista científica eLIFE. De acordo com eles, a edição genética ajuda a resolver o problema das pragas agrícolas, a fazer com que elas não sejam mais resistentes a pesticidas e a herbicidas e, também, “pode prevenir a transmissão de doenças”.

Mas cabe ressaltar que a edição genética não é algo de agora. Desde 1990 que técnicas de edição genéticas vem sendo desenvolvidas, sendo que para alguns elas são importantes para a revolução na área da biotecnologia.

 

O funcionamento da edição genética

Mas como é que a edição genética funciona? Como é a atuação dela para o controle de pragas?

Veja que falamos no começo que com essa técnica os agricultores teriam um novo nível de controle de pragas. E esse novo nível seriam as edições voltadas a fazer o controle de uma população inteira de uma determinada praga, como no exemplo mostrado aqui com as moscas.

O que acontece é que essas edições com foco em populações de insetos, por exemplo, tem como base um gene que se converte em cromossomo Y que agora tem a capacidade de destruir o cromossomo X nas células espermáticas do mosquito, assim, todas as larvas serão machos.

O que acontece agora é que, como haverá mais machos do que fêmeas, o número de novos insetos, ou qualquer outro tipo de praga, cairá a cada nova geração. Assim tem-se o fim dela.

Ainda que para muitos a edição genética apresente uma espécie de ameaça, ela traz muitos benefícios. Benefícios tanto para controlar pragas quanto para também controlar doenças que afetam as plantações e, também, insetos que podem colocar em risco a saúde humana.

Deixe uma resposta